Tuesday, May 30, 2006

Soneto Para Flauta e Caneta

© Nathan de Castro


O som da flauta doce baila na colina,
e ao pé do jatobá copado de saudades,
preparo a solidão da noite de ravina,
relembrando enxurradas e antigas paisagens.

Como era belo o verde nos pés da campina!
E os canários do reino de felicidades
soltando os seus trinados na tarde menina,
sem saber o apetite do mar das voragens!

O canto dos riachos nos trilhos das matas
embalava os sonhos de fogo e queimadas,
à margem dos canteiros de belas serenatas.

Silêncio e imensidão no mirante poeta
e o sopro do passado contando as passadas.
Na mágica da música, os sons da caneta.


2 Comments:

Anonymous dáguima verônica said...

Nathan, fica tão difícil escolher o mais lindo soneto teu...aliás é impossível, cada um passa uma emoção tão forte...deixa a gente encantada!"Soneto Para Flauta e Caneta" arranca as palavras da boca,pois o coração se afoga nessa linda poesia!!Parabéns!!

June 03, 2006 6:59 AM  
Anonymous Anonymous said...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»

July 17, 2006 7:51 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home