Friday, July 07, 2006

Palhaço

© Nathan de Castro


De tanto amar, o sol desenha a cada dia
uma nova paisagem verde no horizonte,
e a terra, agradecida, bebe da poesia,
mas à noite se esquece e fecha a velha fonte.

A inspiração solar repete o juramento,
não perde tempo e acende a luz noutro quadrante,
ataca no oriente, enquanto atiça o vento
com explosões solares — versos de um amante!

Meu caro amigo, faze como o sol: insiste,
e queima essa paixão na ponta da caneta,
revela o lado oculto e a capa da revista.

Se for loucura amar assim, oh! meu poeta,
então és louco, e o louco em ti é o meu artista:
palhaço da loucura azul que me completa.

3 Comments:

Anonymous Mônica said...

Nathan,

Buscar outra palavra que defina....ah!
Lindaaaa!!!
/:o)
Beijinhos

July 09, 2006 9:06 PM  
Anonymous Mônica said...

Nathan,

Buscar outra palavra que defina....ah!
Lindaaaa!!!
/:o)
Beijinhos

July 09, 2006 9:06 PM  
Blogger Vyrena said...

Lindos seus sonetos. Adorei o "Palhaço"... maravilhoso.
Parabéns!
Abraços
Dê uma passadinha no meu.. rsssssss

http://vyrena.blog.terra.com.br/

July 10, 2006 2:07 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home