Thursday, July 06, 2006

Soneto Cibernético

© Nathan de Castro


Quando a razão me chama, fico estático
feito uma estátua esquálida e patética,
rejeito a letra e abraço a nova tática
poética de bardo cibernético.

Quando a ilusão estende os seus tentáculos,
aceito a rima... As flores são de plástico,
mas, também, fazem parte do espetáculo
dos campos digitais... Canteiros mágicos.

Busco as canções de espíritos lunáticos,
para entender a vida e seus fantásticos
momentos de explosões enigmáticas...

Talvez o verso entenda o meu fanático
poeta de alma chip e peito trágico...
Maluco das paixões melodramáticas.

3 Comments:

Anonymous Lu said...

Nathan,
"Quando a razão me chama, fico estático", me passa a impressão exata do sentimento do poeta que é apenas emoção. Seria talvez uma inércia neste caso? Desculpe, viajo muito... Melhor apenas dizer que gostei muito da sua poesia. Sabe, hoje escrevi algo sobre solidão no meu blog, depois você podia ler. Você disse que tenho uma queda por crônicas, mas, me aventuro também em poemas, já poesias como as suas é preciso ser um artista. Parabéns amigo!

July 06, 2006 12:33 PM  
Anonymous Anonymous said...

Hi,my name is john and ive been on a blogging mission today to inform my fellow bloggers that you could be making money with your blogsite!This is not and ad and I normally wouldnt do this but alot of blogs I come up on I just dont have comments for so I thought I could atleast help you out by offering some info.Anyway you can set up your blog to advertise through google and their adsense program.Its all setup through your blogger account and it takes 5 minutes.Adsense is where other websites advertise on your site and you earn money every time someone clicks on it.They also set up the ads to be related to your content.So if you have lots of visitors it could pay big for you.Anyway,I enjoyed reading your blog! Take care,John

http://www.StartYourBizz.com
http://www.StartYourBizz.com/pips.html

July 16, 2006 5:00 PM  
Anonymous Anonymous said...

Oi Nathan,
PoesiaxTecnologia.
Coisas, aparentemente antagônicas, conseguem ser vistas com um olhar especial pelo poeta.
Eu já conhecia este soneto e é um dos meus preferidos. Parabéns!
Abraço.

July 16, 2006 5:36 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home