Tuesday, May 30, 2006

Nas Asas do Soneto

© Nathan de Castro


Nas asas do soneto encontro o seu abraço
e os versos de saudade. O gosto vem na boca,
que beija a perfumada tônica no espaço
e, alexandrinamente, eu tiro a sua roupa.

Mãos ávidas de rimas nos seus lindos seios,
vasculham os caminhos do colo sedento.
O ritmo acelera as carícias e anseios
e atropelo a palavra que explica o momento.

Para finalizar, relembro os seus cabelos
bailando na metáfora de estilo antigo,
me ensinando o perfume dos olhos bandidos,

que de tanto amar, nunca soube entendê-los...
E perdi os segredos guardados no abrigo
dos seus sonhos, à chave de ouro, escondidos.

1 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Interesting website with a lot of resources and detailed explanations.
»

July 17, 2006 7:51 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home