Monday, June 05, 2006

Soneto com Nó

© Nathan de Castro


Cobertor de poeta é um agasalho,
que não serve aos anúncios da estação.
Quando frio, reveste-se de orvalho,
no calor, logo abraça a solidão.

Se num verso me cubro, noutro falho
e revelo o outro lado da canção.
As mentiras aceito e delas valho-
me, mesmo quando o peito diz que não.

Da pena à folha branca, me atrapalho
com os verbos e tempos da oração,
vou perdido e com passos de espantalho

sigo os trilhos abertos na emoção.
E, no ponto final, quebrando o galho,
dou um nó no soneto e lavo as mãos.

7 Comments:

Anonymous Roseli said...

Lindo... lindo meu querido Nathan. Vc estava mesmo muito inspirado!!!Por acaso está frio por aí?? rsrs.Bom prá tomar chocolate quente. Fike na paz e que Deus lhe abençõe.

June 05, 2006 8:09 PM  
Anonymous Roseli said...

Ah. passa lá no meu blog e faz um comentário. Ele tá tão pobrezinho!!!
www.portaldaamazonia.zip.net
Abraçosssss.

June 05, 2006 8:12 PM  
Blogger Mulher-in-visível said...

Ainda não tive a oportunidade de lhe parabenizar pelo seu blog! Está lindo! Já vim várias vezes, porém "entrei sem bater!". Parabéns!

June 06, 2006 12:18 AM  
Anonymous Deni West said...

Oi Nathan,
Certamente sua poesia agasalha o leitor, ao lhe permitir viajar, nas asas da emoção.

June 06, 2006 2:58 PM  
Anonymous Marcelo Marques said...

Olá Nathan,
Grande amigo Poeta!

Mais um lindo soneto, entre tantos!
As palavras para o elogio, chegam a ser poucas tornando-se repetitivas.
Cada novo poema é uma surpresa, com o que virá de melhor.

Afinal, não me canso de dizer; és um mestre nesta arte.

Parabéns por tanto talento!

Quando quiser selecione alguns Poemas, para que eu atualize tua presença no meu site.

Abração Poeta,
Marcelo Marques (Marks)

June 08, 2006 7:21 AM  
Anonymous rosapena said...

Nathan
Vi o plágio do ridículo...
Que coisa ..
Que ódio
beijos
rosa

February 16, 2009 2:25 PM  
Blogger valéria tarelho said...

Nathan, meu caro, esse tal plagiador deveria ser exposto ao ridículo perante aqueles que o premiaram. Quer dizer que além de se apropriar da obra alheia, o infeliz ainda recebe os louros?
Affffffff!!! (e qdo falo aff é porque estou bufando horrores!!). Já passei por isso mas foi em uma dimensão menor, a plagiadora postou e assinou poemas meus em seu blog, recebeu uns elogiozinhos e tão logo fui informada acabei com a festa ;)). Esse seu caso é bem mais grave e penso que deveria ser de conhecimento público, especialmente onde esse "parasita" reside.
Sorte aí, meu amigo, não deixa barato não.

Beijo!

February 16, 2009 6:22 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home