Sunday, June 04, 2006

Viver por tanta Estrela /// Das Pétalas e Estrelas

© Nathan de Castro

Preciso ouvir um beijo em tua mão,
para que eu viva a paz de tanta urgência.
Sou pétala de estrela e sou carência,
quando a saudade toca o violão.

Não sei de tabuada... Da ciência
da flor só sei as contas da emoção...
As equações do amor, sem consistência,
não vestem minhas rimas na canção.

Só sei que desta paz quero a cadência
da música que espanta a solidão
do verso atrapalhado e sem clemência,
que não conhece as luzes da estação...

Por tanto amor, abraço a tua ausência...
Por tanta estrela, eu quero esta paixão!


=========================

© Lílian Maial


A estrela é sonsa e pisca - inatingível!
De tantas explosões, se faz quimera.
Nos sonhos do poeta, é impossível:
É brilho de ilusão, que desespera.

A pétala é tão frágil, perecível,
É murcha em pouco tempo, tão singela!
E o amor, que é a marca d'água do indizível,
Perdura, nessa paz que o peito gera.

Pois quando a vil saudade toca o sino,
Chamando a solidão e o desatino,
E o medo toma conta da canção,

É só nutrir de luz a estrela triste,
E acreditar que a nova flor resiste,
Germina em solo fértil de paixão!

1 Comments:

Anonymous Deni said...

De tudo o que importa mesmo é amor.

June 06, 2006 2:53 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home