Monday, June 12, 2006

Soneto para derreter a taça

© Nathan de Castro


A minha deusa tem o olhar de estrela,
o beijo da serpente e a fina flor
que pinta a sedução verde-amarela,
quando o juiz apita a falta-amor.

A minha deusa é azul, doce e tão bela
quanto um gol ao final deste amador
soneto, de artilheiro, em minha tela,
que busca a sua meta em cada odor.

A minha deusa é pênalti no último
minuto da final do campeonato...
A copa desejada pelo incauto

poeta atrapalhado e sem escrúpulos,
que rouba a taça e, num verso de assalto,
derrete-se ao sentir o seu contacto.

4 Comments:

Anonymous Deni said...

Tão lindo o reflexo do olhar lírico sobre o futebol...

June 13, 2006 10:40 AM  
Anonymous Dáguima Verônica said...

Rsrsrs...Lindo!!!
Uma junção perfeita de um amor sedento...ansioso...mesclado à eterna paixão pelo futebol!!

June 14, 2006 5:06 PM  
Anonymous Ana Carla said...

Oiee, Nathan!!
que bom poder voltar a escrever aqui,
este seu "Soneto pra derreter a taça"
é muito lindo, viu?
amor e futebol,
ou melhor, paixão e futebol...
parabéns,
e muito bom ter este cantinho
aqui pra ler e sonhar....

beijo

June 17, 2006 11:28 AM  
Anonymous MIRLES ROCHA VALLE said...

MEU AMIGO QUE TODOS VEJAM AS COISAS COM SEUS OLHOS, PARA QUE O BRILHO SEJA REFLETIDO EM TODOS OS CANTOS DO NOSSO PLANETA. A TAÇA ESTA NO TEU CORAÇÃO E JÁ É TUA POR DIREITO. FELICIDADES POETA NATO. ABRAÇOS AFETUOSOS E COM ADMIRAÇÃO.MILLY!

June 18, 2006 9:24 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home