Tuesday, January 16, 2007

A Grua Amarela

© Nathan de Castro


Tem uma grua amarela com as garras estendidas
sobre a cidade de São Paulo.
O cenário em nada lembra as maquetes da obra.
O cartão postal exibido nos noticiários da TV é assustador.
Pela primeira vez as obras do metrô paulistano foram
terceirizadas... E ponto.A tragédia anunciada tem bem
ao centro o símbolo da cidade grande.
São tantos os exemplos de obras terceirizadas
construídas com material de qualidade duvidosa e sem
muitos critérios técnicos, que sempre vem a pergunta:
__Vale a pena?... Até onde vai a ganância dos grandes
empresários deste país?
Todos sabem que o solo próximo à marginal Pinheiros é
um solo pobre, sem sustentação e, mesmo assim, para
economizar, optou-se pelo túnel sob o rio, quando o indicado
por qualquer engenheiro seria o metrô de superfície.
Tem um micro-ônibus navegando de submarino na lama da cratera
e vidas humanas perdidas e tantas outras abaladas pela
incompetência e falta de escrúpulos dos nossos empresários
e governantes.
Tantos sonhos perdidos, tantas histórias nos escombros...
Rachaduras nas paredes das casas...
Rachaduras nas paredes do peito de centenas de moradores.
Em pouco tempo as rachaduras nas casas serão maquiadas
e tudo volta ao normal.Normal?... E quem vai consertar as
rachaduras no peito dos moradores, parentes e amigos das vítimas?
Quem vai apagar a imagem da grua amarela com suas garras
estendidas para uma cidade já tão sofrida pela falta de segurança?
Enquanto isso, a lama lançada por uma mineradora em Minas,
continua o seu trajeto rumo ao mar... Apenas mais uma tragédia
anunciada e tratada com descaso pelos nossos empresários e
governantes...
O homem segue a brincar de “Todo Poderoso”.
Segue a brincar de construir o planeta à sua imagem e semelhança.
A Terra chora, o Universo soluça, o Sol sorri e a Lua continua na sua
sina de poesia.
Tem uma Lua de esperança no céu de janeiro e uma grua amarela
com suas garras estendidas sobre a cidade de São Paulo.

2 Comments:

Blogger Lílian Maial said...

Muito bom, Nathan!
Como todo bom poeta, vc conseguiu dar a essa situação trágica um enfoque angustiado e, ao mesmo tempo, lírico, como um grito engasgado na garganta, um soluço de versos chorados no papel. Parabéns, e que seu grito ecoe em cada leitor seu.
beijos

January 20, 2007 8:36 AM  
Anonymous Ana Carla said...

Oiee, Nathan!!!

ahh, desabafo necessário....
muiuto bom, querido!!!

ahh, viu??
não te abandonei!!!
nem tem como...

beijo
Ana Carla

January 20, 2007 6:06 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home