Sunday, January 07, 2007

Para Nunca Mais Dizer Adeus


© Nathan de Castro


Quando relembro os nossos dias de canções e abraços,
vejo-me nos espaços dos poemas que perdie
e a minha caminhada segue o rumo dos teus passos,
como a buscar nos sonhos o sorriso que não vi.
Não sei se foi sorriso ou se uma lágrima brotou,
só sei desta tristeza que a saudade me deixou.

Para esquecer o brilho que guardei do teu olhar,
um dia eu disse adeus e o tempo veio me dizer
das rugas que não sei e dos cabelos ao luar,
depois de tantos anos sem o nosso amanhecer.
Não sei se foram anos ou se o tempo adormeceu,
só sei desta saudade do beijo que se perdeu.

Brancos cabelos soltos ao luar
e os nossos passos lentos se encontraram
no vento que estas rugas ensinaram,
deixando-me os sonetos de sonhar.

O sonho é uma lágrima que brota
dos olhos, que aprendi a esquecer,
na solidão do beijo à minha porta,
batendo esta saudade de viver.

Luar-te-ei nos versos de lembranças,
nas danças encantadas das estrelas.
Para estrelar canteiros de esperanças

espalharei sementes pela estrada,
como a plantar palavras pra vivê-las,
e nunca mais o adeus na caminhada.

2 Comments:

Blogger Livre Expressão da Lucilaine said...

Como sempre, lindo o que escreveu ! Eu já nem me preocupo em escrever, quero ler o que pessoas como você escrevem de bom e basta isso para me preencher.
Beijo grande!!!

January 09, 2007 2:49 PM  
Anonymous Lílian Maial said...

Isso está realmente muito especial.

November 20, 2008 6:10 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home