Monday, August 20, 2007

Pernas


© Nathan de Castro

A chave do soneto chama as pernas
da musa, o verso, as claves da canção,
para entender o encanto das cavernas,
o ritmo e o poder da sedução.
A porta dos quatorze exige ternas
palavras, quando o frio da estação
canta a saudade... As noites são eternas
para quem fecha as portas à paixão.

Aveludados sonhos num bailado,
de movimentos, doce e perfumado...
Caminhos da explosão que se anuncia!

O verso, arromba a música e embalado
pela força do vento... Extasiado,
soma à canção um beijo na poesia.

3 Comments:

Blogger ROSAS VERSOS & POEIRAS said...

CONFABULAÇÃO
"PERNAS" - Nathan C. Ferreira.

Com seus cabelos ao vento
ela se debruça ao poema
vai criar um novo tema
uma nova era, um novo tempo
entre suas ardorosas pernas
e o poeta se aquieta, com jeito
vai se debulhar em teus seios
a fonet mais pura das termas!
o mundo já não será mais o mesmo
depois que a musa cair em teus braços
o que mais vai faltar, desde então?
não sobrará espaços...
haverá da rima, a viração:
mas escrever, eu não sei se devo!

Victor Hugo.

August 28, 2007 5:43 PM  
Blogger ROSAS VERSOS & POEIRAS said...

Não pense o Amigo Poeta que esteja esquecido, não, isso não!!! - Nós os leitores nunca esquecemos de quem a tanto nos faz bem!!! Portanto, Caro Amigo Poeta, se se encontrar esquecido, deixa dessa bobagem, nós apenas estamos lendo e relendo seus Belos Poemas!!! ABraços Fraternais!!! De um amigo: Victor Hugo - poetasolitario33bhz@yahoo.com.br - meu blogger (compartilhe comigo nossos sites):
BLOGGER: http://opoeta137.blogspot.com/

August 28, 2007 5:48 PM  
Blogger Fubu said...

muito bom

ritmado!

December 09, 2007 6:31 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home