Wednesday, July 19, 2006

Passageiro de Estrelas


© Nathan de Castro


Os versos que rabisco não têm pedigree.
São uivos de saudades de um lobo poeta
que em noites de luar retira da gaveta
as pedras da poesia que um dia escondi.

Passageiro de estrelas – triste silhueta –
que sabe o vôo alegre e a flor do colibri,
mas canta só as lágrimas que eu recolhi
das velhas cachoeiras do meu lado asceta.

Fera faminta em noite clara... Figurante
dos contos de aventuras em telas distantes,
onde a canção do amor maior ficou perdida?

Vem rabiscar luares de uma nova vida,
reescrever a história deste viajante...
Cansado estou das pedras de luas minguantes!

1 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Demais NATHAN! Gostei demais!
A natureza se faz presente nessas linhas , mesmo que como diga você: versos sem pedigree.
Beijo grande...

July 25, 2006 5:19 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home