Saturday, September 02, 2006

Dois Poemas de Lílian Maial


Almas Perdidas*

®Lílian Maial


Se a noite te serve de manto,
escondendo a mesquinhez e o desencanto,
estás perdoado de tudo,
pensas que não tem retorno.

Ledo engano...

Teus atos sórdidos e incautos
ficam gravados na tua mente
e, mesmo que finjas que não sabes,
sabes muito em que és impuro.

A maldade que brota de ti
não se contém ante a beleza,
não se contenta com a sina,
não se importa com a vida.

A crueldade e a inveja
fazem da alma um purgatório,
e a inquietude da tragédia,
da desdita e solidão,
são as pequenas infâmias
que te congelam o coração.

Se és infeliz e incapaz,
toma tua vida nas mãos
e muda o que não te satisfaz!

Não brinques de deus poderoso,
que decide sobre o bem e o mal,
que tua própria existência inócua
te aponta o Juízo Final.

******

*do livro “Enfim, renasci!” – editora Impetus

=======================

Hipócrita

© Lílian Maial


Ai de ti, que te serves da hipocrisia,
que te vales da calúnia covarde,
do punhal de palavras,
que não te importas com a honra,
mas falas em nome dela,
que não ligas para a ética,
mas empunhas sua bandeira,
que não vives com a moral,
mas apelas para suas virtudes.
Ai de ti, hipócrita!
Que recebes o mal em tua casa,
adentra-o, obedeces a seus preceitos,
e o vendes como luz da vida.
Ai de ti, pobre coitado!
Que dizes ajudar ao mais necessitado,
no fundo, esmolando a toda gente,
enganando que amas,
quando, em verdade, mentes.
Ai de ti, hipócrita!
Salva tua alma, enquanto é tempo!
Expia tua culpa pelos sofrimentos,
os que impuseste ao irmão,
os que teu ódio fizeram fenecer,
pois que a vida te oferece todas as lições.
Ensinas as mentiras,
incentivas o mal, caiado de bem,
atiças o pecado e a maldade,
fingindo que ajudas,
que livras da perdição...
Ai de ti, hipócrita!
Que exploras teu irmão por vaidade,
que acusas de traição a liberdade,
que entregas à danação por ambição.
Ainda é tempo, hipócrita!
Arrepende-te de tua arrogância!
Usa a sinceridade e a tolerância!
Trabalha com afinco, que terás teu valor.
Não manches tuas mãos com o suor do outro,
não culpes, não cobres o que não tens para dar,
pois só é perdoado quem se arrepende,
só é amado quem ama sem restrição,
só alcança o topo, quem não comete difamação,
quem não mente, afinal, para si mesmo.
======================

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home