Monday, September 04, 2006

Para Cantar o Amor Maior


© Nathan de Castro


Teu nome está gravado com punhais de estrelas
nos troncos dos sonetos que guardo no peito,
mas nestes que rabisco não consigo as telas
e as pétalas das letras de um verso perfeito.

Como explicar o amor, com tinta de caneta,
nas árvores de um sonho feito de aquarelas,
se as cores das palavras saltam da paleta
e as mãos do meu poeta não conseguem vê-las?

Ah! mágica Poesia Azul, qual o segredo
para escrever a dor com versos soberanos,
sem respingar saudade e luas nos pianos?

Me ensine essa canção feliz do passaredo
e a música das ondas beijando o rochedo,
para que eu cante o amor maior dos oceanos.

2 Comments:

Anonymous Marco Antonio Rosa said...

Muito bom, Nathan, forte e sincero.
Como não posso passar sem versos, perdoe-me a liberdade:

VELAS AO LUAR

Eu posso ouvir um sonho de poeta,
de espraiar tão longe a voz do mar
que, muto além de onde chegam as velas,
a dor de mim consegue alcançar,

e logo mira, entre as pedras, cores,
de um amor que desafia o vento,
e vai tão longe a voz desse lamento,
e vem tão perto o medo de chorar...

Para alcançar o que ninguém conhece,
e conhecer o que ninguém ouviu,
páro e escuto a solidão do mar,

a perceber a dor que não se esquece,
e esquecer que tudo acontece
à luz das velas, ao luar de amores...

..........................
Um grande abraço.
Marco

September 04, 2006 2:24 PM  
Blogger Livre Expressão da Lucilaine said...

Você sabe, não sei se lembra, mas, eu disse que é meu preferido. Já o conhecia e foi um prazer enorme ler novamente.

Beijo...
Lu

September 05, 2006 5:49 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home