Wednesday, October 04, 2006

Desapropriação


© Nathan de Castro


Não me fizeste mal, fizeste apenas
um buraco no casco da poesia
e, náufraga nos versos, pinto as cenas
com meu pincel pingando fantasia.

Não me fizeste o sol na melodia,
somente uma lembrança das melenas
jogadas sobre as margens mais serenas
do meu riacho doce, que sorria.

Por que não me deixaste o mal, se tudo
foi sonhos que plantamos pela estrada,
quando o meu corpo ardia de desejos?

Por que não me deixaste o sol, se tudo
foi luzes que roubamos da alvorada...
Por que tiveste medo dos meus beijos?

2 Comments:

Anonymous Izabel T. da Rosa said...

NATHAN - QUERIDO AMIGO... não tenho palavras, não as tenho...você é só emoção.
GRANDE POETA!!!

October 10, 2006 5:32 PM  
Anonymous Sônia Prazeres said...

Quis comentar mas fiz feito a criança que chama sem vezes e depois nada quer falar. Até quero...mas fiquei sem as palavras. Parabéns pelo dom abençoado.
Abraço grande

October 12, 2006 3:43 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home