Thursday, September 07, 2006

Apologia


© Nathan de Castro


Não sei se vou, se fico ou se permito-
me voltar pela estrada de onde eu vim...
Por não saber a cor do veredicto,
vejo o tempo passar, branco ou carmim.

Se vou, não sei as contas do infinito,
se fico, a luz me cega e perco o fim
do filme desta vida, que grafito,
em versos, por saber-me passarim.

Mas nada paga o peso que, admito,
rasga as entranhas, quando digo sim.
O sim sai fraco, pálido, inaudito

e o não logo se espalha em meu jardim.
Assisto à luta e, dito por não dito,
mando outra dose... Vinho tinto ou gim!

2 Comments:

Blogger Livre Expressão da Lucilaine said...

Você sabe que esse é um dos que prefiro. Pelo sim e pelo não, também vou pelo sim... música gostosa essa de fundo. Mas, o sim não pode sair fraco, pálido ou inaudito. Basta ser comum para desejar, mas, é preciso coragem para realizar...

Beijo,
Lu

September 08, 2006 1:57 PM  
Blogger Lílian Maial said...

Oi, Nathan! É belíssimo esse seu soneto!
Já avisou aos amigos da boa nova?
A produção da rádio Globo selecionou duas poesias no site "Usina de Letras" para serem lidas no ar no dia 09/09/2006 (Sábado), durante o programa "Agito Geral" com o comunicador David Rangel. O programa irá ao ar das 21:00 as 24:00h.

As poesias selecionadas são:

Apologia - Nathan de Castro Ferreira Júnior

Ah, que saudade - Maria Luiza de Almeida Prado Luna Freire

Você poderá ouvir sintonizando a Radio Globo em sua cidade ou no site da rádio www.radioglobo.com.br , selecione a Globo AM - RJ.

Viram só como nosso poeta está chegando no topo rapidinho? O reconhecimento é o melhor prêmio para o talento.
beijão e vá em frente,
Maial

September 08, 2006 2:02 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home