Thursday, September 21, 2006

Poema de Areia


© Nathan de Castro


Lá vai um poeta na praia deserta,
banhado de sal e paixões das marés.
Caminha a incerteza da onda que oferta
pedaços do mundo jogado aos seus pés.

Navios aportam sonetos de alerta
e o grito vem alto do velho convés
caiado ao betume da vida encoberta
por névoas e sonhos que o tempo desfez.

Avante, poeta!... Escala o rochedo,
esquece as espumas, saudades, e areias.
Navega delírios, gaivotas, sereias

e todos os segredos do verbo aloucar.
Levanta essa âncora e abraça esse medo...
O medo é o troféu para quem quer voar!

1 Comments:

Blogger Livre Expressão da Lucilaine said...

O último verso mexeu comigo. "O medo é o troféu para quem quer voar". Mais, uma vez, amei um soneto seu. Você sabe que seus versos penetram minha alma de forma intensa e absorvo-os com alegria.

Beijo,

September 22, 2006 8:07 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home