Friday, September 21, 2007

Chorinho


© Nathan de Castro

Eu choro porque a Natureza chora
e a Natureza é amiga dos poetas...
Chorar num ombro amigo me apavora,
mas sei que ainda existem borboletas!

Eu choro porque vejo o aqui e agora,
e choro pelos filhos das sarjetas...
Se não chorar, meu sonho se evapora
e o meu poeta quebra as clarinetas!

Portanto, choro lágrimas de estrelas
e enfeito as minhas páginas e telas
com flautas, violoncelos e pianos...

E choro, porque todas as janelas
abertas eu fechei sem escrevê-las
a tempo de estancar meus oceanos.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home