Saturday, April 05, 2008

Mal de Amor


Lílian Maial & Nathan de Castro

O amor é como a brisa das manhãs douradas,
que chega de surpresa, a refrescar o dia.
O mundo fica belo, as nuvens perfumadas,
e o tempo perde tempo, aos olhos da alegria.

O amor é como a chuva fria nas calçadas,
que chega em tempestade, dor, melancolia.
O mundo fica cinza, as luas deformadas,
e o tempo pesa mais que a lágrima tardia.

O mal de amor é fogo, é ar, é terra e é água,
que juntos se modelam, esculpindo a mágoa,
mas quem pode viver sem essa flor letal?...

Que venham elementos, venha a natureza,
os ventos da paixão, os beijos e a certeza:
amar faz tanto bem, que chega a fazer mal.

3 Comments:

Blogger NUVEM said...

gostei muito desse poema; penso em publicá-lo num jornal escolar que faço em :www.jornaldelfos.net76.net
ou www.jornaldelfos.net63.net

October 14, 2008 11:21 AM  
Blogger Sonetos & Rabiscos said...

Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário.
O soneto foi escrito em parceria com a minha amiga poeta Lílian Maial.
Para publicar, solicito que sejam seguidas as marcas que definem os versos meus e de Lílian.
Abraço,

October 14, 2008 3:06 PM  
Blogger NUVEM said...

vou achar um jeito de fazer isso, mas o jornal impresso é em preto e branco.

acho que vou grifar ou teus versos ou deixar em negrito, uma coisa assim, valeu mesmo cara.

estou montando a 6a. tiragem do jornalzim.
depois eu escaneio, boto num blog e te mando o link.

March 25, 2009 10:23 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home