Monday, July 31, 2006

Aos Trancos e Barrancos


© Eloah Borda


Meu coração é um louco, inconseqüente,
não tem noção de tempo nem de idade,
- se apaixona com tal intensidade,
como se fora ainda adolescente!

Minha razão, coitada, certamente,
de tudo faz pra impor sua vontade.
Que vão intento - controlar, quem há de,
as emoções de um coração ardente?!

Se a razão diz: - Já tens cabelos brancos!
Já o coração me grita, a cada pulso:
- A natureza para amar me fez!

E assim eu vou, aos trancos e barrancos,
a debater-me entre o bom senso insulso,
e a deliciosa e louca insensatez...

4 Comments:

Blogger Livre Expressão da Lucilaine said...

Nathan,

Quisera ter um coração louco e inconsequente como o seu. E olha que ainda não tenho cabelos brancos.
Bonito ver que não deixou perder isso em você. Vi pelo seus olhos um encanto que realmente só os poetas ou apaixonados possuem.

Felicidades meu quase desconhecido...risos. Sabe porque rio? Porque sua poesia te revela!

Beijos!
Lu

July 31, 2006 5:30 PM  
Blogger Anna D' Castro said...

Oi Nathan, maravilhoso soneto da Eloah Borda, ela é fantástica e faz lindos sonetos, com uma facilidade incrível.
Parabéns poe este seu espaço.
Um abraço da
Anna

July 31, 2006 10:09 PM  
Blogger Sonetos & Rabiscos said...

Lucilaine,
este soneto é de autoria da minha amiga Eloah.
Mas, também, tenho um coração assim... rs
Abraço,
Nathan

August 01, 2006 7:52 AM  
Anonymous Izabel T. da Rosa said...

É nessa inconseqüência que reside o milagre da vida. É a natureza explodindo e nos deixando esquecer jamais disso.
Belíssimo texto!
Beijos...

August 01, 2006 4:59 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home