Saturday, July 25, 2009

O Ipê Rosa

© Nathan de Castro


Um Ipê Rosa enfeita a vista da minha janela.
A todo julho ele se veste de rosa para me lembrar que está lá,
e que sabe muito mais sobre a poesia dos meus dias
do que eu sei sobre a poesia da tela do poema
que ele se me apresenta, a cada ano.
Os meus versos preferem o Ipê roxo!
O meu poeta prefere o amarelo.
Mas quem comanda as letras tem as cores de uma
árvore perdida no tempo.
O Ipê Rosa parece saber, e...
Lá está ele, o Ipê Rosa, a todo ano, a todo inverno, com o seu olhar
de florada rosa, a me lembrar dos lábios cor-de-rosa da paixão.
Como era bela a poesia daquelas tardes!

7 Comments:

Blogger KESIA LEONARDO DE said...

Olá poeta,

Salvei seu blog entre os meus favoritos, marcarei presença sempre. Muita inspiração e uma ótima e abençoada semana!

July 27, 2009 5:54 AM  
Blogger Niki said...

Nathan,

Que linnnnnnndo este poema que enche a alma com a cor que invade os nossos olhos através das tuas letras!!
/;o)
beijinhos

July 29, 2009 9:58 AM  
Anonymous Aline said...

Amo os seus poemas, rabiscos e tudo
que você escreve. Você brinca com as palavras.
bjs

October 11, 2009 7:27 AM  
Anonymous Assis Edidora said...

Nathan, enquanto para o cientista a cor se chama pigmentação o poeta a chama de inspiração. Somente os bons, como você, é capaz de perceber que a natureza viva fala ao homem, de diferentes formas, todos os dias. Parabéns!

October 18, 2009 8:22 AM  
Blogger poveirinha said...

passei por acaso, gostei, voltarei!

beijo

November 09, 2009 3:48 PM  
Blogger Sandra Silva said...

De minha janela não vejo Ipês - nem rosa, nem amarelos...
Perecebo o qto minha paisagem é inacabada. (e eu que pensei vir dela tanta poesia)

Bj grd

January 26, 2010 7:24 AM  
Blogger Mila said...

Passeando achei vc, gostei e fiquei...
Bjs
com carinhos
Mila
Faça-me uma visita, adorar receber vc no meu espaço...
Bjs
Mila

May 04, 2010 11:51 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home